Para começar a contar a vocês tudo o que está sendo descoberto nos últimos dias, em fevereiro de 2020, Dr. Fauci foi informado de que a Covid-19 exibia características virais que são incomuns, e que poderia ter sido projetado em um laboratório. Esse é um dos pontos cruciais que constam nos e-mails vazados.

Neste e-mail aqui traduzido, o Dr. fala sobre as máscaras e admite que elas não protegem contra o vírus.

Ao todo, são mais de 3.200 páginas de e-mails obtidos por meio de uma ação judicial, baseado na lei Freedom of Information Act, movida pelo BuzzFeed News – cobrindo o período de janeiro a junho de 2020 – e que fornecem um raro vislumbre de como Fauci abordou seu trabalho durante a maior crise de saúde do século, os e-mails mostram como Dr. Fauci lidou diretamente com o público, autoridades de saúde, repórteres e até celebridades.

Os e-mails vazados de Dr. Fauci, rei dos lockdowns intermináveis e das máscaras, botam todas as políticas tomadas pelas autoridades públicas, praticamente no mundo inteiro, em cheque, mostrando que quem realmente estava certo, na verdade, era o próprio Presidente Jair Bolsonaro e o presidente Donald Trump.

Em um dos e-mails, com data de janeiro de 2020, de Kristian G. Andersen, do Scripps Research Institute e diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas, afirma que algumas das características do vírus chinês, continham recursos que denotavam um potencial de “engenharia biológica”.

Além disso, ele afirma que apesar das características incomuns, as modificações foram mínimas, mas suficientes para alterar o genoma e, obviamente, os efeitos do vírus.

Acima, o próprio Anthony Fauci admitindo:

“Eu devo mencionar que após a discussão hoje mais cedo, Eddie, Bob, Mike e até eu mesmo, entendemos que o genoma [do COVID-19] são inconsistentes com as expectativas da teoria da evolução [natural]”.

No e-mail abaixo, Fauci diz que a hidroxicloroquina é eficaz e a indústria farmacêutica não se interessa pelo medicamento, pois, o mesmo não possui patente, ou seja, não lucrarão quase nada.

Quanto ao Brasil, político que condena o medicamento, posso suspeitar do interesse?

No site Politz, fizeram um resumo sobre o que está no e-mail acima, em breve iremos traduzi-lo para vocês.

  • Houve um estudo pela utilização do famoso retroviral Remdesivir para tratar a doença;
  • Durante o estudo, vários artigos chineses apareceram, mostrando que a “amplamente conhecida” hidroxicloroquina”, usada por mais de 70 anos para tratar a malária, é bastante potente para tratar o COVID-19 e pneumonia;
  • Isso surpreendeu os pesquisadores, concluindo que pode ser um medicamento muito eficaz para tratar pacientes de alto risco infectados pelo vírus chinês;
  • Comparando ao Remdesivir, o e-mail informa que a hidroxicloroquina é de fácil administração pela via oral, é barato e disponível amplamente no mundo;
  • Os pesquisadores questionam se o uso de baixas doses de hidroxicloroquina poderiam ser usadas para fins de estudo em pacientes com COVID-19;
  • Também levantou-se a possibilidade de usar o medicamento defendido por Donald Trump e Jair Bolsonaro para prevenir o desenvolvimento da pneumonia em pacientes com COVID-19;
  • Também trouxeram a informação de que, pela hidroxicloroquina ser um medicamento antigo, que já perdeu a patente, sendo um genérico, as companhias farmacêuticas não possuem qualquer incentivo para realizar estudos e pesquisas quanto à sua eficácia;
  • Eles alertam que o Governo Federal deveria financiar tais estudos e levantou também a possibilidade que o próprio Dr. Fauci deveria considerar essaa opção.

Estamos buscando mais informações, traduzindo documentos, para trazer a vocês as informações de forma clara e verdadeira, para que não fiquem dúvidas.

É importante que você esteja no grupo do TELEGRAM, muitas informações estão sendo postadas lá, assim que são recebidas!

Para mais informações acesse nosso Canal do Telegram CLICANDO AQUI

VEJA TAMBÉM: “AVISO AOS PESSIMISTAS: O BRASIL VAI DAR CERTO”, AFIRMA TARCÍSIO DE FREITAS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui