A esquerda sofreu um novo revés, a absurda denúncia no Tribunal Penal Internacional (TPI) em Haia, feita pela
entidade denominada Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), foi rejeitada.

Mark P. Dillon, chefe da Unidade de Informação e Provas do TPI, diz que com base nas informações apresentadas na denúncia,
“a conduta descrita não parece se enquadras nas definições rigorosas do Estatuto de Roma“.

Em nota, ainda afirma:

“Uma característica fundamental do Estatuto de Roma é que o Tribunal (Penal Internacional) só pode exercer jurisdição sobre pessoas para os crimes mais graves que preocupam a comunidade internacional como um todo, nomeadamente genocídio, crimes contra a humanidade e crimes de guerra. Esses crimes são cuidadosamente definidos no Estatuto de Roma (artigos 6 a 8) e mais detalhados nos Elementos dos crimes, adotados pela assembleia dos estados-partes”.

Mais uma tentativa de atrapalhar o governo cai por terra. Qual será a próxima?

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui