Dias Toffoli, Ministro do STF, afirmou que o inquérito das fake news identificou “financiamento internacional” a indivíduos usando as redes sociais “para fazer campanhas contra as instituições brasileiras, em especial o STF e o Congresso Nacional”.  

A afirmação foi feita durante entrevista ao programa Canal Livre, da TV Bandeirantes, nesta segunda-feira (22), Toffoli classificou a descoberta como “gravíssima”.

Ainda conforme Toffoli, a história do Brasil já mostrou grupos radicais financiados, “seja de extrema direita ou seja de extrema esquerda, vem para criar o caos e desestabilizar a democracia em nosso País”.  

“Não é um grupo de malucos. Há uma organização por trás disso, que ataca inclusive a imprensa tradicional e séria. Temos que estar atentos e o inquérito está em excelentes mãos”, destacou Toffoli. 

O inquérito sobre as fake news foi aberto em 2019 como uma resposta do Supremo às crescentes críticas e ataques sofridos nas redes sociais. Desde o início, porém, a apuração foi contestada por especialistas e políticos por ter sido instaurada de ofício por Toffoli, então presidente da corte, sem provocação da PGR (Procuradoria-Geral da República).

O ministro defendeu as investigações como uma salvaguarda à democracia brasileira e lembrou que o Supremo recebeu o apoio de diversas entidades representativas da sociedade, inclusive líderes de partidos políticos, com exceção do PSL.

“Naquele momento não era apenas o Supremo que estava preocupado, mas toda a sociedade”. Segundo ele, o sistema de Justiça está atento aos atos antidemocráticos e atua para que “o ovo da serpente não brote novamente”.

VEJA TAMBÉM: FISIOTERAPEUTA TEM CRISE DE SONAMBULISMO E CAI DO 3º ANDAR DE HOTEL

Para mais informações acesse nosso Canal do Telegram CLICANDO AQUI

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui