O presidente da Câmara dos Deputados anunciou na tarde desta sexta-feira (26) que não há consenso para votar a PEC que amplia a imunidade parlamentar e blinda políticos de prisão.

Arthur Lira também anunciou a criação de uma comissão especial para debater o texto contido na Proposta de Emenda à Constituição (PEC).

“Essa não deveria ser chama de PEC da impunição, deveria ser chamada de PEC da democracia”, disse o presidente da Câmara durante a sessão.

A Constituição prevê que parlamentares só podem ser presos em flagrante e por crime inafiançável. A PEC, de autoria do deputado Celso Sabino (PSDB-PA) e assinada também por outros 185 parlamentares, prevê que, após uma eventual prisão, o parlamentar ficará sob custódia da Casa que representa (Câmara ou Senado), que julgará em plenário a validade da prisão.

A tramitação da PEC foi paralisada e a Câmara volta a analisar a proposta na semana que vem, na terça-feira (2).

VEJA TAMBÉM: BOULOS VIRA RÉU ACUSADO DE INVADIR TRIPLEX NO GUARUJÁ

Para mais informações acesse nosso Canal do Telegram CLICANDO AQUI

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui