A Polícia Civil de Araçatuba e o Ministério Público de São Paulo (MP-SP) realizam na manhã desta terça-feira (29), uma operação contra desvio de dinheiro público da área da saúde no estado de SP.

Ao todo, são cerca de 260 mandados de busca e apreensão e 57 mandados de prisão temporária, além do sequestro de bens e valores.

Segundo os investigadores, o esquema envolve uma Organização Social (OS) que administra hospitais e clínicas em várias cidades do país. Os donos são suspeitos de pagar propina a agentes públicos para conseguir os contratos que, em geral, são superfaturados.


De acordo com o apurado, houve a aquisição de grande quantidade de bens móveis e imóveis, sendo que parte da evolução patrimonial do grupo se deu justamente no período da pandemia.

Na capital, são cerca de 40 mandados de busca e apreensão em escritórios de advocacia, hospitais e ambulatórios médicos na Grande São Paulo. Entre os alvos da operação estão a Câmara Municipal de São Paulo e a Secretaria estadual de Saúde, assim como escritórios de advocacia, hospitais e ambulatórios médicos em municípios da Grande São Paulo.

Os crimes investigados são fraude em licitações, corrupção passiva, corrupção ativa, falsidade ideológica, peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

VEJA TAMBÉM: MP DESMENTE O JORNAL O GLOBO SOBRE DENÚNCIA CONTRA FLÁVIO BOLSONARO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui