O governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, recorreu ao Supremo para tentar barrar o andamento de seu processo de impeachment que está tramitando na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro e que inclusive vai ser votada hoje em plenário.

A defesa do Witzel já havia apresentado um recurso à Corte, onde afirma que a comissão processante foi formada de maneira irregular e não obedece a “correlação de forças políticas” na Alerj.


Porém, o ministro Alexandre de Moraes, que é o relator do caso, analisou que não houve nenhuma irregularidade na convocação da comissão especial pelo presidente da Assembleia.

Na ação protocolada hoje, Wilson Witzel, destacou que a comissão formada deu mais relevância aos partidos de oposição, o que acabou prejudicando sua defesa.


O governador afastado solicitou ao ministro Alexandre de Moraes, que reconsiderasse decisão anterior, que liberou o andamento do processo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui