A polícia francesa matou a tiro um homem que minutos antes havia matado um professor do ensino fundamental em um suposto ataque terrorista no subúrbio de Paris.

A polícia encontrou a vítima por volta das 17h30, hora local.

Uma fonte policial disse que o professor havia mostrado aos alunos desenhos animados do profeta Maomé, que são considerados blasfêmia pelos muçulmanos. O promotor antiterror do país está investigando o atentado, ocorrido em Conflans Sainte-Honorine.

O agressor foi visto carregando uma faca próximo ao local do ataque, o homem foi perseguido pela polícia e conseguiu chegar à cidade de Eragny-sur-Oise, no Val-d’Oise. Um porta-voz da polícia confirmou que ele foi morto a tiros.

Uma fonte próxima à polícia disse que testemunhas ouviram o agressor gritar “Allah Akbar” ou “Deus é Grande”, no entanto, a polícia ainda está apurando informação.

Outra fonte próxima à polícia também disse que a vítima havia sido decapitada no ataque. Já o jornal francês Le Parisien informou que a vítima foi “horrivelmente mutilada”.

O relatório também acrescentou que o agressor era pai de um estudante.

Nos últimos anos, a França sofreu uma série de ataques violentos perpetrados por militantes islâmicos.

No mês passado, um homem que emigrou do Paquistão para a França atacou e feriu duas pessoas usando um cutelo do lado dos antigos escritórios da revista satírica Charlie Hebdo.

Esse foi o mesmo local que militantes islâmicos mataram funcionários de um jornal em 2015.

Traduzido de EXPRESS

VEJA TAMBÉM: DORIA AFIRMA QUE VACINAÇÃO CONTRA COVID-19 EM SP SERÁ OBRIGATÓRIA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui