A polícia encontrou nesta segunda-feira (16), o corpo de uma mulher japonesa, escondido entre pedras e terra, a cerca de dez metros de uma cachoeira que fica na propriedade da Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, no Entorno do Distrito Federal.

A mulher fazia tratamento espiritual na casa fundada pelo líder espírita João de Deus, condenado pela Justiça por cometer crimes sexuais contra mulheres, há dois anos.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Albert Peixoto Salvador, não há indícios de envolvimento do suposto médium ou de algum membro da instituição com o crime.

A polícia identificou a mulher como Hitomi Akamatsu, de 43 anos. Ela estaria desaparecida desde o último dia 10 e sumiu após sair para se banhar na cachoeira. Foi necessário o uso de cães farejadores para encontrar o cadáver que apresenta marcas de violência.

Após o crime, o corpo de Hitomi foi colocado em uma vala e escondido com terra e pedras.

Nesta terça-feira (17), a Polícia Civil prendeu um jovem de 18 anos que confessou ter assaltado e matado uma mulher, além de ter escondido o corpo no local.

De acordo com o delegado, o jovem disse que não encontrou nada de valor com a vítima, por isso levou uma peça de roupa dela e outros pertences e os queimou. 
Segundo a corporação, o rapaz não apresentara advogado até o final desta manhã.

Um jovem está preso e é apontado como o principal suspeito da morte dela. A principal linha de investigação é de que ele teria tentado assaltar a mulher.

VEJA TAMBÉM: GOVERNO DE SÃO PAULO PRORROGA QUARENTENA ATÉ 16 DE DEZEMBRO

Para mais informações acesse nosso Canal do Telegram CLICANDO AQUI

2 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns para o Xerife de nova York e meus pêsames para esse bufão, traidor, que traiu desde o governador Alkimim até Bolsonaro. Um rastro de traição e canalhice. Sem palavras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui