A vacina contra a covid-19 que está sendo desenvolvida pela farmacêutica AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford gerou uma resposta “robusta” do sistema imunológico em idosos, de acordo o jornal britânico Financial Times.

Esta faixa etária é um dos grupos de risco da doença causada pelo novo coronavírus.
Pesquisas da vacina de Oxford começaram no final do mês de abril desse ano.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, a vacina de Oxford é uma das dez vacinas contra a covid-19, entre as quase 200 atualmente em desenvolvimento, que já estão na última fase de pesquisa em seres humanos.

Na chamada fase 3, é verificado se elas realmente funcionam, ou seja, são capazes de nos proteger contra o Sars-CoV-2.

A vacina de Oxford também é testada no Brasil, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), instituto de pesquisa ligado ao Ministério da Saúde.

A vacina, que a AstraZeneca está desenvolvendo com a Universidade de Oxford, foi descrita pela OMS como provavelmente a candidata mais promissora do mundo e a mais avançada em desenvolvimento.

VEJA TAMBÉM: MORTES POR COVID-19 CHEGAM AO MENOR NÍVEL DESDE MAIO

1 COMENTÁRIO

  1. Porque será que Doriana quer por quer o Brasil gastando milhões em uma vacina mal testada que é a da china!!! E ainda por cima quer obrigar a vacinação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui