Após toda a tensão das eleições de 2018, onde vivemos a eminência de um projeto de dominação total, por parte da esquerda/estableshiment/foro e outros grupos, “surgiu” no cenário político brasileiro uma figura que nos trouxe esperança: Jair Bolsonaro.

Uma série sofrível de acontecimentos depois – isso inclui atentado contra a vida, possível fraude nas urnas, luta contra um projeto de governo que previa até regulamentação de opinião – vivenciamos o primeiro governo de direita do Brasil.

Dois anos depois muitos “apoiadores” tornaram-se adversários. Bolsonaro tomou decisões que, como previsto, não agradaram a todos, mas quero propor uma reflexão! Você realmente pensou que ele te agradaria em tudo?

Lembre-se sempre que ele não é um “deus”, mas um homem. Passivo de erros e falhas, e que também está sujeito a críticas, mas busque ser conduzido pela sobriedade e coerência.

Nosso fundamentalismo, e vontade de ver o Brasil livre da velha política e de casos como o do “senador dinheiro no bumbum” – o Brasil é um país caricato, cheio de peculiaridades, não é? O vice líder do governo pego em operação da PF com dinheiro nas nádegas? Brincadeira! Ehhh centrão. – nos fazem muitas vezes ter uma opinião sobre tudo.

Agora quero te fazer algumas perguntas. Desses “intelectuais” de internet, quantos realmente fazem algo relevante para o combate na guerra cultural? Quantos, dos “apoiadores”, oferecem nomes para ocupar as bases da sociedade, fomentam movimentos, organizam militância de direita e etc? Quantos tem, assim como Jair Bolsonaro, a realidade do país a sua frente, quando vão analisar algo ou tomar uma decisão?

Criticar, dentro de um cenário infantilizado ou distante da realidade, é fácil. Complicado mesmo é pegar um país alinhado “a esquerda” por anos. Que tem a lavagem cerebral e o assistencialismo populista institucionalizados, e tentar mudar ele para um país que tenha como mote a liberdade.

Não gostou da indicação para o STF? Ou qualquer decisão? É seu direito criticar sim, mas pense que estamos numa situação onde ou apoiamos o projeto de mudança que o presidente tem buscado trazer para o país, ou nos entregamos de vez a uma série de poderes que não querem nosso bem.

O resumo desse artigo é: Bolsonaro é humano. Erra. Acerta e nos chateia. Precisa do nosso apoio, mas não vai escapar de nossa critica, obviamente construtiva. Precisamos trabalhar, e assumir a responsabilidade, da mudança que queremos para o país, afinal de contas vivemos no Brasil, e decidimos nossos candidatos nas urnas eletrônicas, isso não te assusta?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui