João Pedro R. Feitosa, médico e morador do Rio de Janeiro, participava como voluntário para os testes da vacina de Oxford, faleceu em decorrência das complicações do novo coronavírus.

Feitosa era recém formado na profissão, 28 anos e estava em um dos grupos integrantes da pesquisa para a nova vacina. A ANVISA emitiu uma nota, onde afirmou que recebeu a notícia sobre a morte do brasileiro no dia 19 de outubro.

Ainda não há informações se João Pedro participava do grupo que recebeu o imunizante ou o placebo.

Lei a Nota da ANVISA na íntegra:

“Em relação ao falecimento do voluntário dos testes da vacina de Oxford, a Anvisa foi formalmente informada desse fato em 19 de outubro de 2020. Foram compartilhados com a Agência os dados referentes à investigação realizada pelo Comitê Internacional de Avaliação de Segurança. É importante ressaltar que, com base nos compromissos de confidencialidade ética previstos no protocolo, as agências reguladoras envolvidas recebem dados parciais referentes à investigação realizada por esse comitê, que sugeriu pelo prosseguimento do estudo. Assim, o processo permanece em avaliação.

Portanto, a Anvisa reitera que, segundo regulamentos nacionais e internacionais de Boas Práticas Clínicas, os dados sobre voluntários de pesquisas clínicas devem ser mantidos em sigilo, em conformidade com princípios de confidencialidade, dignidade humana e proteção dos participantes.

A Anvisa está comprometida a cumprir esses regulamentos, de forma a assegurar a privacidade dos voluntários e também a confiabilidade do país para a execução de estudos de tamanha relevância.

A Agência cumpriu, cumpre e cumprirá a sua missão institucional de proteger a saúde da população brasileira.”

VEJA TAMBÉM: “SAÍMOS COM A ESPERANÇA ELEVADA” DIZ DORIA APÓS REUNIÃO NA ANVISA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui