Joaquim Levy se demite da presidência do BNDES

0
6

Após a renúncia do Diretor do BNDES, Marcos Pinto, Joaquim Levy se demitiu hoje da presidência do BNDES. Paulo Guedes afirma que residente ficou ‘angustiado’ porque Levy escolheu ‘nomes ligados ao PT’ para a diretoria.

Levy foi escolhido por Paulo Guedes, onde o ministro da economia julgava que seu perfil, mesmo tendo forte participação dos governos petistas e pmdebista (Lula, Dilma e Temer), era ideal para atrair investimentos enquanto a gestão atual “despedalava” o BNDES, mesmo contrariando decisão de Bolsonaro, onde o presidente não concordava em ter Levy no comando do BNDES.

Jair Bolsonaro estava “ansioso” segundo declaração de Paulo Guedes, em relação a Joaquim Levy, pois julgava incompreensível a falta de empenho em “abrir a caixa preta” do BNDES, promessa de campanha do atual presidente. Levy, além de clara resistência para abrir a ‘caixa preta’, manteve e nomeou pessoas ligadas ao PT.

Paulo Guedes, de acordo com informações do site BR18, também estava insatisfeito com o futuro da instituição, diante do que considerava ritmo lento de projetos de privatizações e PPI e no plano de reestruturação financeira de Estados e municípios.

Segundo o Ministro da Economia, a demissão foi cordial e ‘houve muita concordância’, informou o jornal Estadão.

Levy entregou a carta de renuncia neste domingo (16.06), após ser alvo de críticas do presidente Jair Bolsonaro, no sábado (15.06), em função da nomeação do advogado Marcos Barbosa Pinto para o cargo de diretor de Mercado de Capitais do banco de fomento.

 “Levy nomeou Marcos Pinto para função no BNDES. Já estou por aqui com o Levy”, disse o presidente neste sábado. “Falei para ele: (Levy) demite esse cara na segunda ou eu demito você (Levy) sem passar pelo Guedes (ministro da Economia)”, afirmou ontem o presidente.

Marcos Barbosa Pinto trabalhou como assessor do BNDES durante o governo PT, de 2005 a 2007. Levy foi ministro da Fazenda de Dilma Rousseff.

Em nota, Levy declarou que sua expectativa é que o ministro da Economia aceite sua demissão. No comunicado, ele deseja a Guedes “sucesso nas reformas”.

Leia a íntegra da nota de Joaquim Levy:

“Mensagem do presidente do BNDES

Solicitei ao ministro da Economia Paulo Guedes meu desligamento do BNDES. Minha expectativa é que ele aceda.

Agradeço ao ministro o convite para servir ao País e desejo sucesso nas reformas.

Agradeço também, por oportuno, a lealdade, dedicação e determinação da minha diretoria. E, especialmente, agradeço aos inúmeros funcionários do BNDES, que têm colaborado com energia e seriedade para transformar o banco, possibilitando que ele responda plenamente aos novos desafios do financiamento do desenvolvimento, atendendo às muitas necessidades da nossa população e confirmando sua vocação e longa tradição de excelência e responsabilidade.

Joaquim Levy”

Quanto aos destino do BNDES, governo cogita transferir para gestão de privatizações federais.

Além de Salim Mattar, são cotados para assumir o BNDES Gustavo Franco, ex-presidente do BC, Carlos Thadeu de Freitas, ex-diretor do banco, e Solange Vieira, funcionária de carreira do BNDES e atual presidente da Superintendência de Seguros Privados. Uma das hipóteses é que a instituição seja assumida pelo secretário especial de Desestatização e Desinvestimento do Ministério da Economia, Salim Mattar, e, com ele, seja transferida para o BNDES parte das atribuições da secretaria.

*Com informações do Estadão e BR18