A defesa do Deputado Daniel Silveira respondeu ao ministro do STF, Alexandre de Moraes, na quinta-feira (12), sobre o cumprimento da determinação da Corte de que o parlamentar deveria utilizar a tornozeleira eletrônica. O posicionamento é de que Silveira nada tem a declarar sobre os questionamentos.

A advogada do parlamentar, Mariane Cardoso, disse à Jovem Pan, que a defesa entrou com um recurso que pede a análise da graça constitucional, concedida pelo presidente Jair Bolsonaro (PL).

“Esse decreto está válido e não houve sequer uma manifestação judicial, seja nos autos da ação penal, seja nos autos da ação de descumprimento de preceito fundamental, que estão sob a relatoria respectivamente do ministro Alexandre de Moraes e da ministra Rosa Weber. Nenhum dos dois julgadores suspendeu a validade do decreto, de modo que ele está válido. Ou seja, existe uma causa de extinção da punibilidade que equivale ao próprio cumprimento da pena. E que, portanto, faz com que não fosse justificada a manutenção de qualquer medida cautelar”, afirmou Mariane.

Mariane Cardoso disse também que outras possíveis também estão sendo estudadas, entretanto, reclamou da dificuldade do processo, pois, de acordo com ela, Alexandre de Moraes não estaria tendo uma postura adequada.

“Eu acredito que esteja havendo uma inobservância do devido processo legal em relação à ordem de apreciação dos pedidos. Quando a gente pede uma coisa, tem que ter uma decisão depois, para depois haver uma outra questão a ser examinada. O que acontece é que a defesa está apresentando um pedido, esse pedido está sendo ignorado e está sendo prolatada uma decisão na sequência. Então, eu acredito que seja importante lembrar essas questões ao ministro. E isso está sendo feito mediante diálogo, por meio do contato direto ao gabinete”, disse ela.

De acordo com a advogada, caso a apreciação não ocorra e multas continuem sendo aplicadas ao parlamentar pelo não uso da tornozeleira, ficará configurado uma violação dos direitos da defesa.

Na avaliação do Alexandre de Moraes, a conduta do deputado Daniel Silveira em não acatar as medidas cautelares revelam desprezo pelo poder Judiciário, o que justifica a fixação de multa diária por descumprimento.

Veja também: “NÃO HAVERÁ INTERFERÊNCIA NA PETROBRAS A NÃO SER PELAS VIAS LEGAIS”, AFIRMA BOLSONARO

Para mais informações acesse nosso Canal do Telegram CLICANDO AQUI

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui