A corregedora nacional de Justiça, Maria Thereza de Assis Moura, negou o pedido formulado pela OAB, para afastar o juiz da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, Marcelo Bretas.

A OAB entrou com uma reclamação disciplinar contra o juiz por conta do conteúdo de reportagem publicada pela Veja que revelou os termos do acordo de delação do ex-advogado de condenados da Lava Jato, Nythalmar Filho, firmado com a Procuradoria-Geral da República (PGR).

O advogado diz que Bretas teria negociado penas e atuado em conluio com o Ministério Público e advogados de réus da Lava Jato no Rio, o que o magistrado nega.

Em sua decisão, a corregedora, diz que, o afastamento cautelar de magistrados “é medida excepcionalíssima” e que os elementos da reportagem “não permitem mais do que uma visão de parte dos fatos”.

Apesar de negar o afastamento, ela reconhece que “as conclusões poderão sofrer substancial modificação, com o aporte de novos elementos e o aprofundamento da análise”.

VEJA TAMBÉM: DORIA É RECEBIDO A GRITOS DE “DITADORIA” NO INTERIOR DE SÃO PAULO

Para mais informações acesse nosso Canal do Telegram CLICANDO AQUI

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui