Na quinta-feira (25), a justiça federal decidiu receber a acusação apresentada pelo Ministério Público Federal contra Guilherme Boulos (PSOL) e mais dois militantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST).

Agora os réus são acusados de terem invadido o triplex, no Guarujá, no dia 16 de abril de 2018, em protesto à prisão do ex-presidente Lula (PT). Na ocasião, os manifestantes só deixaram o imóvel depois de quatro horas de negociações com a Polícia. Guilherme Boulos, porém, alega não ter participado da manifestação.

O MPF aponta que os réus teriam infringido o Artigo 346 do Código Penal, que dispõe sobre “tirar, suprimir, destruir ou danificar coisa própria, que se acha em poder de terceiro por determinação judicial ou convenção”, com pena de detenção de seis meses a dois anos e multa.

A decisão de receber a denúncia do MPF (Ministério Público Federal) foi tomada pela juíza Lisa Taubemblatt, da 6ª Vara Federal de Santos (SP), que deu o prazo de dez dias para Boulos e os outros dois réus, Anderson Dalecio e Andreia Barbosa da Silva, ambos do MTST, oferecerem resposta à acusação por escrito.

VEJA TAMBÉM: LANÇAMENTO DE SATÉLITE DARÁ PROJEÇÃO AO BRASIL, DIZ PRESIDENTE DA AEB

Para mais informações acesse nosso Canal do Telegram CLICANDO AQUI

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui