Bolsonaro recua e tira ativista gay filiado ao PCdoB de comissão

0
2

Jair Bolsonaro nomeou, na segunda-feira (01) Andrey Lemos como membro titular do Comitê Nacional de Prevenção e Combate à Tortura. Após pressão, militante foi retirado.

De acordo com informações da Revista Crusoé, o governo decidiu trocar o representante do Ministério da Saúde no Comitê Nacional de Prevenção e Combate à Tortura. Andrey Chagas Lemos foi reconduzido por Bolsonaro para colegiado na última segunda-feira. Servidor da pasta desde 2015, ele é filiado há 21 anos ao PCdoB e presidente da UNALGBT, a União Nacional dos LGBTs.

Os bolsonaristas e pró-governo ficaram insatisfeitos com a nomeação, obrigando o Ministério da Saúde afirmar que a nomeação foi “equivocada” e que seria “adequada” segundo informações da Crusoé. Oficialmente, a justificativa é que Lemos foi cedido para o Conselho Nacional de Saúde.

O Novo indicado do ministério para o comitê é o secretário-executivo da pasta, João Gabbardo dos Reis, alinhado ao governo. Segundo consta, Gabbardo garantirá “maior articulação e capacidade de decisão nos temas relacionados à pasta na atuação do comitê”.