Está sendo discutido em uma comissão da Câmara dos Deputados do Chile um projeto que prevê a “interrupção da gravidez” até a 14ª semana de gestação. Na última quarta-feira (20), a comissão se reuniu pela segunda vez.

A ex-líder estudantil e deputada pelo Partido Comunista do Chile, Camila Vallejo, que faz parte da Comissão de Mulheres e Equidade de Gênero, garantiu que o projeto de lei não irá permitir o “aborto livre, gratuito e seguro”, como aconteceu na Argentina, mas iria retirar a retiraria somente a despenalização da prática.

No Chile, a prática do aborto é considerada crime, e a pena pode variar de 3 a 5 anos de prisão.

Em 2017, o aborto foi aprovado em apenas três situações, “risco à vida da gestante, deficiência do feto e gravidez resultante de estupro”, segundo a CNN Brasil.

VEJA TAMBÉM: JOE BIDEN ROMPE ALIANÇA MUNDIAL CONTRA ABORTO

Para mais informações acesse nosso Canal do Telegram CLICANDO AQUI

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui