O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, suspendeu o pagamento da dívida pública dos Estados de São Paulo e Piauí em relação a contratos firmados com a União e diversas instituições financeiras.

A decisão envolve parcelas a vencer em contratos do Estado com a União e instituições financeiras.

Moraes atendeu ao pedido dos Estados, que argumentaram queda na arrecadação devido às mudanças do ICMS sobre combustíveis. 

Os Estados do Maranhão e Alagoas já tinham conseguido decisões semelhantes. O Comitê Nacional de Secretários de Fazenda dos Estados (Comsefaz) espera um efeito cascata com outros governadores conseguindo o mesmo.

“Defiro a liminar [decisão provisória], nos termos pleiteados, para determinar a suspensão do pagamento das prestações vincendas da dívida pública do Estado do Piauí”, disse o magistrado.

Além disso, Alexandre de Moraes proibiu a União de “constranger o Estado de São Paulo em trâmites de operações de crédito e convênios e na sua classificação de rating (risco de crédito) em âmbito federal”.

A Lei Complementar 194/2022 limitou as alíquotas do tributo sobre combustíveis, energia, transportes e comunicações e deve reduzir as receitas das unidades federativas em cerca de R$ 54 bilhões até o fim do ano, de acordo com as secretarias de Fazenda estaduais.

Veja também: WEINTRAUB DESISTE DE CANDIDATURA AO GOVERNO DE SP

Para mais informações acesse nosso Canal do Telegram CLICANDO AQUI

1 COMENTÁRIO

  1. Me parece que está açao de Alexandre de Moraes e uma invasão de competência. E age como se fosse o todo poderoso, e não é.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui