Conforme o laudo pericial da Polícia Civil, a voz que autoriza a entrada de Élcio de Queiroz, no condomínio Vivendas da Barra, não é a do porteiro. O ex-policial é acusado do assassinato de Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

De acordo com o documento, a pessoa que autorizou a entrada de Élcio no residencial, foi Ronnie Lessa.O laudo foi assinado por seis peritos.

Élcio e Ronnie estão presos sob a acusação de terem assassinado Marielle e Anderson. O Presidente Jair Bolsonaro e seu filho Carlos Bolsonaro, moravam no condomínio. O porteiro citou em seu depoimento que interfonou para “Seu Jair”, que segundo ele, teria autorizado a entrada de Élcio de Queiroz.

As investigações iniciaram após o porteiro afirmar que liberou a entrada de Élcio, entretanto, voltou atrás dias após.

Conforme o laudo, na verdade, um outro funcionário ligou para Ronnie Lessa, informando que Élcio estava na portaria. Lessa então, autorizou a entrada.

O porteiro prestou depoimento nos dias 7 e 9 de outubro de 2019, relatando que “Seu Jair” havia autorizado a entrada de Élcio no mesmo dia em que Marielle Franco foi assassinada, 14 de março de 2018. Ainda no depoimento ele informou que Élcio solicitou ir à casa 58, em que o então deputado Jair Bolsonaro vivia. Porém, neste dia, ele estava em Brasília.

Newsletter Subscribe

Get the Latest Posts & Articles in Your Email

We Promise Not to Send Spam:)