in

Irã persegue Cristãos – Depoimento

Um importante dissidente iraniano revelou as políticas bizarras exclusivamente para o Daily Star Online no período que antecede o natal.

Babak Taghvaee, um especialista em aviação que foi preso pelo governo no Irã e forçado a fugir para Malta, informou que mais de 150 cristãos foram presos no país desde o começo de dezembro.

Falando ao Daily Star Online, Taghvaee disse: “A violação dos direitos humanos está aumentando agora no Irã”.

Ele explicou as duas principais razões pelas quais o Natal vê a maior repressão do governo contra os cristãos: o medo dos conversores do Islã e o medo dos fiéis se organizarem em particular.

Há cerca de 300-370.000 cristãos no Irã

Taghvaee continuou: “O regime islâmico do Irã – como o nome indica – está tentando ser o melhor exemplo de governante islâmico no mundo.

“Sob o governo da Sharia, nenhum muçulmano deveria se converter a outra religião porque é proibido em seu livro.”

Estima-se que existam 300-370.000 cristãos no país majoritariamente xiita muçulmano do Irã, de uma população de mais de 81 milhões.

Muitos são de minorias cristãs, como os armênios e assírios, mas também há muitos convertidos.

Constituição do Irã reconhece o zoroastrismo, o judaísmo , e o cristianismo como minorias religiosas oficiais, mas afirma todas as leis e regulamentos deve ser baseada em “critérios islâmicos” e interpretação oficial da lei islâmica.

Os cristãos convertidos freqüentemente não são autorizados a ir a igrejas armênias ou assírias, disse Taghvaee, enquanto agentes do Ministério da Inteligência estão observando essas instituições.

Taghvaee explicou que, em vez disso, “os convertidos se reúnem em suas casas todos os domingos, chamamos essas igrejas domésticas”.

“O regime do Irã tem muito medo dessas igrejas domésticas, então elas fazem o melhor para detectá-las e prender os organizadores”, acrescentou.

Uma garota iraniana posa com o Pai Natal
Os iranianos estão cada vez mais se afastando da doutrina islâmica linha-dura do regime

Em 1979, a Revolução Islâmica viu a derrubada do xá apoiado pelo Ocidente e sua substituição pelo domínio teológico radical do aiatolá Khomeini e seu sucessor, o aiatolá Ali Khamenei.

Mas Taghvaee insiste que, em vez de tornar o país mais devoto, “quatro décadas de ditadura islâmica levaram a maioria dos iranianos a ser secular”, ou até se converter a outras religiões.

Taghvaee foi preso no Irã em setembro de 2012, quando o Ministério da Informação o prendeu por suspeita de tramar o assassinato do aiatolá Khamenei, embora isso tenha sido posteriormente modificado para a cooperação com estados inimigos.

Preso por 45 dias, Taghvaee disse que encontrou muitos cristãos convertidos que estavam presos a ele.

Guardas Revolucionários do Irã estão encarregados de fazer cumprir as leis islâmicas do país

“Eu me lembro de suas orações, como eles pediram ajuda a Jesus”, disse ele.

Taghvaee diz que alguns padres estão sendo presos no Irã por até 15 anos.

“Você pode perguntar por que o regime iraniano está prendendo cristãos em massa sempre em dezembro”, continuou Taghvaee.

“Minha resposta é que eles estão com medo do Natal. Eles sabem que os convertidos vão celebrar o Natal em suas igrejas particulares e domésticas. Então eles tentam assustá-los.”

Miles Windsor, da Middle East Concern, disse recentemente ao Morning Star News: “A situação atual foi descrita por alguns como sem precedentes.

“Há um grande número de prisões e detenções.”

Ele prosseguiu: “Recentemente, parece que há definitivamente uma campanha coordenada e determinada para dizimar a comunidade cristã e espalhar o medo e a intimidação”.

Alguns analistas também dizem que os ramos de segurança locais, temerosos de cortes no financiamento, estão tentando mostrar sua eficácia reprimindo o cristianismo.

Donald Trump emitiu mais sanções ao país nos últimos meses, levando o presidente do Irã, Hassan Rouhani, a acusar os EUA de “terrorismo econômico” contra sua nação.

via dailystar

Comentários

comentários

What do you think?

0 points
Upvote Downvote

Written by Renato Barros

Olá, me chamo Renato Barros e sou o criador do canal Questione-se no YouTube e do site questione-se.com. Há pouco tempo também criei o canal Renato Barros Vlog e o canal 90 segundos. O meu objetivo é sempre levar a verdade, por isso estou a frente de todos os projetos mencionados.
Me siga nas redes sociais para estarmos conectados em busca de um Brasil melhor, conto com você!

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

0

Comments

0 comments

Defesa da Síria intercepta mísseis próximo a Damasco

Erdogan espera a RECONQUISTA MUÇULMANA DE JERUSALÉM