Mundo

Reeleição na Venezuela ratifica ditadura

Maduro se aferra ao poder respaldado por instituições reformuladas a serviço do regime.

Como um filme ruim, a que são obrigados a assistir repetidas vezes, venezuelanos testemunharam novamente o presidente Nicolás Maduro gabar-se de mais uma vitória pírrica, que o manterá no poder até 2025. Maduro reelegeu-se com abstenção e denúncias de fraude e coação de eleitores, na troca de um voto pela manutenção de seus benefícios sociais.

Neste roteiro mal dirigido, ele convocou ao diálogo seus opositores, os mesmos que calou, dividiu e foram impedidos de desafiá-lo nas eleições. Não causa espanto que seu maior adversário no pleito, Henrí Falcón, o favorito nas pesquisas, seja cria do chavismo.

Respeitados analistas, contudo, preveem um cenário ainda mais autocrático num país que amarga fome, desabastecimento, inflação de 14.000% ao ano e êxodo sem precedentes. É difícil enxergar um Plano B nesta economia conflagrada.

No campo externo, a Venezuela se isola e patina na falta de legitimidade, mas segue confiante no apoio que recebe de Rússia, China — membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU — Índia e Irã.

No dia seguinte à controversa reeleição de Maduro, os EUA ameaçaram com sanções mais rigorosas e os 14 países do Grupo de Lima, entre eles o Brasil, rejeitaram o resultado. Espera-se que a pressão maior sobre Maduro deva vir da Europa, punindo altos dirigentes do governo e empresários que enriqueceram com o chavismo.

Maduro se aferra ao poder desde 2013, respaldado por quatro pilares: Forças Armadas, Tribunal Supremo de Justiça, Conselho Nacional Eleitoral e Assembleia Constituinte.

Estas instituições foram reformuladas a serviço do regime. Portanto, diante deste cenário, o pacto nacional proposto por Mauro é improvável e tão questionado quanto a eleição que o impôs como presidente.

[sandracohen]
Tags

Renato Barros

Me chamo Renato Barros, sou o criador do canal Questione-se no YouTube. Descobri uma grande paixão após os 25 anos de idade, essa paixão eu coloco dentro de apenas uma palavra, informar. Quero sempre trazer a verdade, principalmente a verdade suprimida, aquela que ninguém quer que você saiba. O site questione-se.com é a extensão do canal Questione-se, obrigado por fazer parte.

Artigos relacionados

Close

Adblock detectado

Por favor considere nos ajudar desativando o seu Adblock
%d blogueiros gostam disto: