Ciência e Tecnologia

Japão estaria colonizando asteroide?

A Agência de Exploração Aeroespacial japonesa (JAXA) enviou uma sonda de milhões de milhas no espaço para tentar pousar na rocha espacial apelidada de “Ryugu”.

Espera-se que a sonda Hayabusa2 chegue ao asteroide hoje.

E agora os conspiradores acreditam que estão testando para ver se habitar a rocha no futuro é uma possibilidade.

Um canal, secureteam10, enviou um vídeo questionando se os japoneses estão escondendo a verdade.

Tyler Glockner, que dirige a página, especula que os especialistas do espaço estão fazendo algo maior do que eles estão deixando.

Desde que ele enviou o clipe hoje mais cedo, ele já acumulou mais de 62.000 acessos.

E os espectadores foram rápidos em adicionar suas próprias opiniões.

“Não parece nada natural”, afirmou um espectador.

Antes outro acrescentou: “Eles provavelmente vão tentar colonizá-lo.”

E um terceiro declarou: “Os japoneses estão tramando algo”.

Hayabusa2 deixou a Terra em 3 de dezembro de 2014 para estudar o asteróide, pois os cientistas acreditam que ele pode conter traços de água primordial e matéria orgânica do nascimento do nosso sistema solar.

Caso sejam encontrados, isso pode ajudar a responder a perguntas sobre como a vida começou na Terra.

Apesar de originalmente aparecer em volta, Ryugu foi encontrado em forma de diamante.

O principal investigador da missão, Seiji Sugita, disse em um comunicado na sexta-feira que suas previsões sobre sua estrutura mudaram ao longo do tempo.

Ele disse: “ Quando nos aproximamos de Ryugu e fomos capazes de distinguir características individuais na topologia do asteroide, ficou claro que Ryugu tem uma terra de terreno rico.

“Numerosos aglomerados de rochas rolam na superfície. Entre eles, uma grande massa rochosa (cerca de 150 metros de largura) se destaca na parte superior do Ryugu devido à sua cor mais brilhante.

“O anel de picos em forma de cinto que rodeia o equador também é ligeiramente mais brilhante do que o seu entorno.

“Essa diferença de cor pode refletir uma diferença na composição do material e no tamanho das partículas que formam a rocha.

“Também podemos ver muitas regiões afundadas que parecem crateras. Essas depressões podem ter sido feitas em colisões com outros corpos celestes. Uma estrutura que parece um bosque também é visível. ”

Tags

Renato Barros

Me chamo Renato Barros, sou o criador do canal Questione-se no YouTube. Descobri uma grande paixão após os 25 anos de idade, essa paixão eu coloco dentro de apenas uma palavra, informar. Quero sempre trazer a verdade, principalmente a verdade suprimida, aquela que ninguém quer que você saiba. O site questione-se.com é a extensão do canal Questione-se, obrigado por fazer parte.

Artigos relacionados

Close

Adblock detectado

Por favor considere nos ajudar desativando o seu Adblock
%d blogueiros gostam disto: