Mistérios & Teorias

Força Espacial – Guerra no Espaço?

Se Donald Trump consiguir sua Força Espacial, apesar das objeções de praticamente das forças armadas dos Estados Unidos, uma coisa é clara: como o inverno, a guerra no espaço está chegando. As superpotências do mundo estão lutando para construir e testar as bases espaciais e as armas da próxima geração, numa tentativa de ganhar superioridade de espaço antes que os outros caras o façam.

Seja ou não ao estilo de gravidade zero, batalhas de rifle laser vai ser uma coisa real em breve, defender contra as ameaças tanto espaciais feitas pelo homem e naturais é uma prioridade séria para as autoridades de defesa. A maior parte do planejamento atual envolve assuntos bastante práticos, como preparação para asteróides ou defesa de nossos satélites de comunicação. É por isso que é estranho que um dos principais oficiais da Força Aérea dos EUA diga a um entrevistador que a Força Aérea está de olho em outras galáxias como novos locais para suas operações. Eles sabem algo que não sabemos? Na verdade, vamos fazer isso “o que eles sabem que não sabemos?” E “realmente queremos saber?”

Em um evento da Associação da Força Aérea nesta semana, o tenente-general da USAF VeraLinn Jamieson fez os curiosos comentários sobre outras galáxias a Stephen Trimble, editor da FlightGlobal, uma empresa de consultoria e análise de inteligência de aviação. No evento, a Trimble perguntou ao LtGen Jamieson sobre o futuro da aeronave Rivet Joint da USAF, uma plataforma de inteligência de sinais. Em resposta, o tenente-coronel Jamieson pareceu se esquivar da pergunta e, em vez disso, contou a Trimble que outras galáxias em breve seriam imóveis de primeira linha para as forças armadas:

Estou convencido de que existem mais domínios e eu lhes digo que, se olharmos para as galáxias, soa maluco, mas haverá um domínio feito pelo homem em outras galáxias.
Trimble pediu a ele para esclarecer o que ele queria dizer com “galáxias”, o tenente Jamieson respondeu que precisamos libertar nossas mentes quando se trata de conceituar o papel potencial das forças militares no espaço:

O espaço tem diferentes galáxias. E nessas galáxias, no futuro, teremos a capacidade que temos agora no ar. Não sabemos o que é porque não liberamos nossa mente para pensar sobre o que está nesse espaço e como vamos utilizá-lo. O espaço é contestado. Isso vai acontecer.
Também enterrada em sua resposta está o que parece ser uma referência a objetos não identificados aqui na Terra rastreados por drones e as dificuldades que a Força Aérea teve em identificá-los:

Quando nós lançamos o Predator, havia uma bola [módulo sensor] no Predator e não era de alta definição, mas era uma bola EO / IR [eletro-óptica / infravermelha] e nossos pilotos realmente tinham – é onde começamos a identifique ‘o que você está vendo?’, ‘diga-me qual é o objeto’, porque não poderíamos realmente fazer isso. Em seguida, evoluímos para uma capacidade EO / IR de alta definição. Nós colocamos SAR [radar de abertura sintética] nele. Nós colocamos então hiperespectral lá. Temos que fazer exatamente a mesma coisa no espaço.

Queira ou não, esse comentário realmente tenha algo a ver com objetos desconhecidos do espaço (provavelmente não), é meio estranho ouvir o Chefe de Gabinete de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento da Força Aérea falar sobre libertar nossas mentes e desenvolver operações em outras áreas. galáxias. No Twitter, o próprio Trimble notou que ainda está ” perplexo ” com a troca e até comentou que a conversa “teria feito muito mais sentido se pelo menos um de nós estivesse muito drogado”. A Força Aérea abriu algum tipo de portal estelar? e está escorrendo informações para preparar as frágeis mentes do público antes da divulgação completa? Ou será que isso é apenas uma observação incoerente que sinaliza que o futuro da Força Aérea pode realmente ser a Força Espacial?

via myu

Tags

Renato Barros

Me chamo Renato Barros, sou o criador do canal Questione-se no YouTube. Descobri uma grande paixão após os 25 anos de idade, essa paixão eu coloco dentro de apenas uma palavra, informar. Quero sempre trazer a verdade, principalmente a verdade suprimida, aquela que ninguém quer que você saiba. O site questione-se.com é a extensão do canal Questione-se, obrigado por fazer parte.

Artigos relacionados

Close

Adblock detectado

Por favor considere nos ajudar desativando o seu Adblock
%d blogueiros gostam disto: